Infraestrutura e zeladoria



A infraestrutura da cidade tem uma importância fundamental para o seu crescimento ordenado e promoção do desenvolvimento social e econômico. A infraestrutura urbana trata dos serviços básicos, compostos por redes de água e esgoto, gestão dos resíduos sólidos, drenagem - (saneamento), rede de energia elétrica, iluminação pública e infraestrutura de telecomunicação. Trata, também, do sistema viário da cidade (transporte e mobilidade), buscando a eficiência, qualidade e otimização dos serviços prestados.


Ao andarmos por nossa cidade, vemos pilhas de lixo espalhadas pelas ruas, espaços públicos (praças) mal conservados, os logradouros (ruas e calçadas) mal cuidadas e esburacadas, falta de identificação dos nomes das rua, iluminação insuficiente, árvores sem poda, entulho jogado por toda a cidade, canais com lixo e móveis velhos. Muitos problemas que influenciam não só o cotidiano das pessoas e a paisagem urbana, mas também as questões de saúde pública.
O município de São Vicente precisa avançar no item saneamento: a cobertura da rede de abastecimento de água não chega a alguns locais, e além disso, enfrentamos altos índices de perda de água. O tratamento do esgoto, segundo dados da SABESP, alcança 85% dos domicílios vicentinos, excluídas as áreas irregulares. Enfrentamos, ainda, as ligações clandestinas com o despejo de esgoto direto na rede de drenagem, chegando aos rios e mar, afetando a balneabilidade das praias.
Quase a totalidade dos bairros se sentem abandonados com serviços públicos que nunca chegam. Assim, propomos a divisão da cidade em REGIÕES, para implantar equipes de manutenção nos bairros, com a finalidade de melhorar os serviços de zeladoria, tornando-os mais próximos dos munícipes, entendendo cada realidade e trabalhando com mais agilidade e eficiência.
Precisamos ampliar o atendimento dos serviços ofertados, destinando os recursos de maneira mais clara e eficiente, e garantindo a qualidade através de transparência e fiscalização.


✅Revisar o Plano Municipal de Saneamento;


✅Reurbanizar os principais eixos viários da cidade

com melhorias do pavimento, iluminação, paisagismo, sinalização, piso e acessibilidade nas calçadas, tanto na Área Insular como Continental;

✅Implantar um sistema online de solicitação

solicitação e acompanhamento dos serviços de zeladoria urbana;

✅Criar uma rotina de manutenção

em todos os bairros da cidade com limpeza, capinação, conserto de tampas, entre outros;

✅Implementar uma estrutura técnica

sob gestão municipal dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário, com vistas à promoção da melhoria da qualidade e eficiência, do desenvolvimento, controle, fiscalização e regulação dos serviços;

✅Trazer para o município o programa da SABESP “se liga na rede”

para execução de redes de esgoto em casas de baixa renda, assim como demais programas com viés de combate a ligação clandestina, tarifa social e educação para valorização do uso da água PURA;

✅Integrar a Política de Saneamento e de Habitação

como forma de buscar a regularização e universalização dos serviços de infraestrutura;

✅Desenvolver campanhas pelo uso racional da água

e solicitar da Sabesp a intensificação das ações com vistas à redução das perdas de água no sistema;

✅Tornar a cidade mais limpa

através de um programa de educação ambiental, e aumentar o número de ecopontos para descarte de inservíveis e entulho de construção.

Infraestrutura e zeladoria



A infraestrutura da cidade tem uma importância fundamental para o seu crescimento ordenado e promoção do desenvolvimento social e econômico. A infraestrutura urbana trata dos serviços básicos, compostos por redes de água e esgoto, gestão dos resíduos sólidos, drenagem - (saneamento), rede de energia elétrica, iluminação pública e infraestrutura de telecomunicação. Trata, também, do sistema viário da cidade (transporte e mobilidade), buscando a eficiência, qualidade e otimização dos serviços prestados.


Ao andarmos por nossa cidade, vemos pilhas de lixo espalhadas pelas ruas, espaços públicos (praças) mal conservados, os logradouros (ruas e calçadas) mal cuidadas e esburacadas, falta de identificação dos nomes das rua, iluminação insuficiente, árvores sem poda, entulho jogado por toda a cidade, canais com lixo e móveis velhos. Muitos problemas que influenciam não só o cotidiano das pessoas e a paisagem urbana, mas também as questões de saúde pública.
O município de São Vicente precisa avançar no item saneamento: a cobertura da rede de abastecimento de água não chega a alguns locais, e além disso, enfrentamos altos índices de perda de água. O tratamento do esgoto, segundo dados da SABESP, alcança 85% dos domicílios vicentinos, excluídas as áreas irregulares. Enfrentamos, ainda, as ligações clandestinas com o despejo de esgoto direto na rede de drenagem, chegando aos rios e mar, afetando a balneabilidade das praias.
Quase a totalidade dos bairros se sentem abandonados com serviços públicos que nunca chegam. Assim, propomos a divisão da cidade em REGIÕES, para implantar equipes de manutenção nos bairros, com a finalidade de melhorar os serviços de zeladoria, tornando-os mais próximos dos munícipes, entendendo cada realidade e trabalhando com mais agilidade e eficiência.
Precisamos ampliar o atendimento dos serviços ofertados, destinando os recursos de maneira mais clara e eficiente, e garantindo a qualidade através de transparência e fiscalização.


Revisar o Plano Municipal de Saneamento;

para enfrentar o problema das enchentes, de forma integral: planejamento, obras e manutenção.

Reurbanizar os principais eixos viários da cidade

com melhorias do pavimento, iluminação, paisagismo, sinalização, piso e acessibilidade nas calçadas, tanto na Área Insular como Continental;

Implantar um sistema online

de solicitação e acompanhamento dos serviços de zeladoria urbana;

Criar uma rotina de manutenção

em todos os bairros da cidade com limpeza, capinação, conserto de tampas, entre outros;

Implementar uma estrutura técnica

sob gestão municipal dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário, com vistas à promoção da melhoria da qualidade e eficiência, do desenvolvimento, controle, fiscalização e regulação dos serviços;

Trazer para o município o programa da SABESP “se liga na rede”

para execução de redes de esgoto em casas de baixa renda, assim como demais programas com viés de combate a ligação clandestina, tarifa social e educação para valorização do uso da água PURA;

Implantar um sistema online de solicitação e acompanhamento dos serviços de zeladoria urbana

Integrar a Política de Saneamento e de Habitação

como forma de buscar a regularização e universalização dos serviços de infraestrutura;

Desenvolver campanhas pelo uso racional da água

e solicitar da Sabesp a intensificação das ações com vistas à redução das perdas de água no sistema;

Tornar a cidade mais limpa

através de um programa de educação ambiental, e aumentar o número de ecopontos para descarte de inservíveis e entulho de construção;