Mulheres: autonomia e empoderamento



As mulheres são maioria em nossa população brasileira e vicentina! São mais de 180.000 cidadãs que na cidade buscam igualdade de gênero, autonomia e empoderamento em todas as esferas da vida. São Vicente tem hoje uma Assessoria Especial de Assuntos Políticos da Mulher, que tem uma atuação muito tímida e sem efetiva contribuição frente a todas as necessidades que a mulher vicentina precisa.


A cidade possui uma única Casa da Saúde da Mulher, antiga Casa do Parto, localizada na Área Continental, que em menos de 6 anos se tornou subutilizada. De todos os serviços, atualmente, apenas o atendimento ginecológico e pré-natal básico são oferecidos, ainda de forma precária. Por conta disso, muitas mulheres deixam de procurar o espaço ficando mais longe do cuidado adequado a nossa saúde.
São Vicente também não possui um plano de enfrentamento da violência doméstica integrado com os serviços públicos. A plataforma Cadastro Nacional de Violência Doméstica mostrou que de 02 de setembro de 2019 a 02 de setembro de 2020 foram registrados no estado de São Paulo mais de 80 mil denúncias, alertando o quão urgente é aplicar políticas públicas mais rigorosas para esse combate.
Em outras áreas, o pouco oferecido para o desenvolvimento do empreendedorismo feminino não chega realmente a quem precisa, pois, muitas vezes, a forma de comunicação, horários e locais são ineficientes para alcançar as pessoas que moram nos rincões da cidade. Muitas vezes, as oportunidades ficam para quem está próximo a algum vereador, afinal, esta é forma de manter a popularidade dos mesmos, privilegiando alguns e retirando outros de um processo que deveria ser democrático e acessível.
Todas as formas de combate à discriminação e violência precisam ser colocadas em prática, juntamente com demais políticas transversais de saúde, segurança, educação, empregabilidade e outras. Todas as mulheres merecem ser cuidadas com dignidade, valorizadas e protegidas. Da infância à melhor idade. Merecem ter incentivo em seus projetos e possibilidade de ampliar e profissionalizar a sua empresa. Merecem ter espaços que recebam suas crianças com a segurança adequada.


✅Ampliar as Políticas Públicas para as Mulheres

inclusive com a formulação do Plano Municipal de Políticas para Mulheres e formação das OPM’s - Organismos de Políticas para Mulheres;

✅Implantar Núcleos de Acolhimento em toda a cidade

para vítimas de violência e apoio psicoemocional

✅Viabilizar a Delegacia da mulher com funcionamento 24h;


✅Desenvolver um sistema de proteção e acolhimento para mulheres

com hotsite, aplicativo, disque-denúncia municipal e teleatendimento para consultas de apoio jurídico, psicológico e socioassistencial;

✅Melhorar a segurança urbana e iluminação pública

a fim de diminuir os riscos de crimes sexuais contra as mulheres;

✅Promover o acesso à renda as mulheres em situação de vulnerabilidade social

com cursos profissionalizantes e aumento da escolaridade, através da implantação de espaços formativos junto a outras entidades, principalmente na área Continental;

✅Oferecer capacitação e auxílio a mulheres empreendedoras

através da apresentação de linhas de crédito, gestão financeira e consultorias de negócios;

✅Promover eventos, espaços e feiras profissionais na cidade

para ampliar a visibilidade, conhecimento e fomentar a compra de produtos dos negócios de mulheres empreendedoras;

✅Realizar campanhas de conscientização sobre a violência contra as mulheres

em pontos de ônibus, estações do VLT e escolas;

✅Criar o Programa Saúde da Mulher

incluindo o parto humanizado, aumento na oferta de consulta com obstetrizes e ginecologistas, atividades esportivas e terapêuticas;

✅Criar e ampliar a rede de creches noturnas

em diferentes regiões da cidade;

✅Projetar um Centro de Referência da Mulher

integrado às demais instituições do serviço público, incluindo a Casa de Saúde da Mulher, Assistência Social e Delegacia de Defesa da Mulher- DDM.

Política Para Mulheres



As mulheres são maioria em nossa população brasileira e vicentina! São mais de 180.000 cidadãs que na cidade buscam igualdade de gênero, autonomia e empoderamento em todas as esferas da vida. São Vicente tem hoje uma Assessoria Especial de Assuntos Políticos da Mulher, que tem uma atuação muito tímida e sem efetiva contribuição frente a todas as necessidades que a mulher vicentina precisa.


A cidade possui uma única Casa da Saúde da Mulher, antiga Casa do Parto, localizada na Área Continental, que em menos de 6 anos se tornou subutilizada. De todos os serviços, atualmente, apenas o atendimento ginecológico e pré-natal básico são oferecidos, ainda de forma precária. Por conta disso, muitas mulheres deixam de procurar o espaço ficando mais longe do cuidado adequado a nossa saúde.
São Vicente também não possui um plano de enfrentamento da violência doméstica integrado com os serviços públicos. A plataforma Cadastro Nacional de Violência Doméstica mostrou que de 02 de setembro de 2019 a 02 de setembro de 2020 foram registrados no estado de São Paulo mais de 80 mil denúncias, alertando o quão urgente é aplicar políticas públicas mais rigorosas para esse combate.
Em outras áreas, o pouco oferecido para o desenvolvimento do empreendedorismo feminino não chega realmente a quem precisa, pois, muitas vezes, a forma de comunicação, horários e locais são ineficientes para alcançar as pessoas que moram nos rincões da cidade. Muitas vezes, as oportunidades ficam para quem está próximo a algum vereador, afinal, esta é forma de manter a popularidade dos mesmos, privilegiando alguns e retirando outros de um processo que deveria ser democrático e acessível.
Todas as formas de combate à discriminação e violência precisam ser colocadas em prática, juntamente com demais políticas transversais de saúde, segurança, educação, empregabilidade e outras. Todas as mulheres merecem ser cuidadas com dignidade, valorizadas e protegidas. Da infância à melhor idade. Merecem ter incentivo em seus projetos e possibilidade de ampliar e profissionalizar a sua empresa. Merecem ter espaços que recebam suas crianças com a segurança adequada.


Ampliar as Políticas Públicas para as Mulheres

inclusive com a formulação do Plano Municipal de Políticas para Mulheres e formação das OPM’s - Organismos de Políticas para Mulheres;

Implantar Núcleos de Acolhimento em toda a cidade

para vítimas de violência e apoio psicoemocional

Viabilizar a Delegacia da mulher com funcionamento 24h;

.

Desenvolver um sistema de proteção e acolhimento para mulheres

com hotsite, aplicativo, disque-denúncia municipal e teleatendimento para consultas de apoio jurídico, psicológico e socioassistencial;

Melhorar a segurança urbana e iluminação pública,

a fim de diminuir os riscos de crimes sexuais contra as mulheres;

Promover o acesso à renda as mulheres em situação de vulnerabilidade social

com cursos profissionalizantes e aumento da escolaridade, através da implantação de espaços formativos junto a outras entidades, principalmente na área Continental;

Oferecer capacitação e auxílio a mulheres empreendedoras

através da apresentação de linhas de crédito, gestão financeira e consultorias de negócios;

Promover eventos, espaços e feiras profissionais na cidade

para ampliar a visibilidade, conhecimento e fomentar a compra de produtos dos negócios de mulheres empreendedoras;

Realizar campanhas de conscientização sobre a violência contra as mulheres

em pontos de ônibus, estações do VLT e escolas;

Criar o Programa Saúde da Mulher

incluindo o parto humanizado, aumento na oferta de consulta com obstetrizes e ginecologistas, atividades esportivas e terapêuticas;

Criar e ampliar a rede de creches noturnas

em diferentes regiões da cidade;

Projetar um Centro de Referência da Mulher

integrado às demais instituições do serviço público, incluindo a Casa de Saúde da Mulher, Assistência Social e Delegacia de Defesa da Mulher- DDM.